Emi Luara

O fim da era dos telefones públicos

Você sabe o que aconteceu com os telefones públicos? Os famosos orelhões foram diminuindo gradativamente devido aos celulares e novas tecnologias.

Afinal, é muito mais fácil realizar ligações através de seu dispositivo móvel do que ir até um orelhão, não é mesmo? Os avanços tecnológicos foram múltiplos, e as chamadas agora podem ser feitas tanto através da operadora quanto pelo WhatsApp ou outro app.

Mas, afinal de contas, o que aconteceu com os telefones públicos? Seria, enfim, o término da era dos orelhões? Nós, da Americanet, selecionamos as principais informações sobre o surgimento dos telefones públicos e sua relevância na atualidade. Se interessou? Então venha com a gente!

Vá direto ao tópico de seu interesse:

mulher usando telefone público
Você se lembra dos “orelhões”? Entenda como os avanços tecnológicos mudaram a telefonia pública

A origem dos telefones públicos

O orelhão foi inventado em 1971 pela arquiteta brasileira Chu Ming Silveira, então chefe do Departamento de Projetos da Companhia Telefônica Brasileira.

A arquiteta tinha como objetivo a criação de telefones públicos que fossem esteticamente agradáveis e práticos. Logo, pensou no formato de ovo, que proporcionaria uma melhor acústica ao telefone colocado em espaços abertos.

Dessa forma, para que fosse resistente aos fenômenos do clima, o telefone público foi construído em fibra de vidro. Ele passou a ser instalado e resistir bem às oscilações de temperatura brasileiras.

Os dois primeiros projetos foram nomeados Chu I e Chu II, devido ao nome da arquiteta. Contudo, com o passar do tempo, as pessoas começaram a chamá-los de orelhinha e orelhão, respectivamente.

Durante vários anos, o orelhão foi o único meio de realizar ligações estando na rua, ou de falar com alguém que está na rua, estando em casa. Para as novas gerações, isso pode ser surpreendente, pois estão acostumadas com os aparelhos móveis.

Entretanto, os equipamentos foram diminuindo quando os celulares surgiram e se tornaram mais acessíveis.

Os telefones públicos

Atualmente, a tecnologia móvel transformou completamente a concepção de comunicação e as maneiras de realizar uma chamada. Contudo, no passado, as coisas eram diferentes. No ano de 2001, o Brasil atingiu o ápice de orelhões nas ruas, eram 1,38 milhões.

Hoje em dia, o número caiu 86% e os aparelhos foram desligados, dando a impressão que desapareceram.

Eles ainda funcionam?

Os telefones públicos ainda funcionam e fazem parte do cotidiano de muitas pessoas. Segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), aproximadamente 62% dos orelhões ativos processam, em média, até duas chamadas por dia, levando em consideração tanto as ligações recebidas quanto as realizadas.

Atualmente, existem 768 mil orelhões espalhados pelo país, sendo mais de 40 mil desses apenas em São Paulo. Muitos deles foram vandalizados, mas os telefones em funcionamento se encontram em locais onde ainda não há disponibilidade de linhas residenciais.

Você deve estar se perguntando: mas onde foram parar os telefones públicos? Eles foram destruídos? Jogados fora? Bom, alguns deles foram removidos totalmente e outros foram destruídos por pessoas ou acidentes de carro. Contudo, o conserto quase nunca é realizado e eles vão, pouco a pouco, sofrendo com degradação.

O funcionamento

Segundo números disponibilizados pelo Estado de São Paulo, no período de julho a dezembro de 2017, pelo menos 93% dos telefones públicos foram utilizados por até dois minutos. Além disso, metade dos usuários falaram até 59 segundos, isto é, menos de um minuto inteiro.

Segundo a Agência Nacional de Telecomunicações, todas as localidades de população superior a 100 habitantes devem ter pelo menos um orelhão disponível 24 horas. Outra condição é que esse telefone deve ser capaz de realizar chamadas de longa distância nacionais e internacionais.

Para melhorar os índices de investimento em sinal 4G, que ainda não chega em diversas áreas isoladas do país, a Anatel dispensou a obrigatoriedade das empresas de telefonia de investir em orelhões. Consequentemente, é difícil encontrar orelhões que cumpram com as condições de funcionamento.

Ligações nos telefones públicos

Para descobrir se os telefones públicos da sua cidade estão funcionando, basta checar através do site “Fique ligado” da Anatel. Por meio da plataforma, você pode saber com precisão a localização dos orelhões em sua região, em todo país. Além de descobrir se eles estão funcionando de forma adequada.

Nesse caso, abra o mapa de sua região e encontre os círculos verdes e amarelos, que representam a quantidade de telefones no espaço desejado. Clique no espaço para conferir quais deles estão em funcionamento ou em manutenção, sendo representados pela cor verde e vermelha.

Como fazer ligações em um orelhão?

Quer realizar uma chamada de um orelhão? O processo é fácil, não se preocupe! Se tiver dúvidas, basta seguir os passos abaixo:

  • Ligação a cobrar: basta discar 9090+ número de telefone desejado;
  • Ligação a cobrar para outra cidade: basta discar 90+ código da operadora + DDD + número de telefone;
  • Ligação internacional: basta discar 00 + código da operadora + código do país + código da cidade + número de telefone desejado. Você pode encontrar esses códigos no site de DDI.

É possível fazer ligações para fixo gratuitamente?

Até o mês de março de 2018, alguns estados brasileiros ofereciam a possibilidade de realizar chamadas gratuitas para telefones fixos através dos telefones públicos. Entretanto, não há previsão para a volta desses serviços gratuitos.

Pensando nisso, não dependa dos telefones públicos e feche agora seu Plano Americanet de telefonia móvel. Assim, você tem a liberdade e a possibilidade de se comunicar através de seu aparelho da maneira que quiser, de onde preferir.

E aí, se interessou pelo tema? Fique por aqui! Só na Americanet você encontra mais informações, dicas, explicações e as melhores ofertas pelos melhores preços. Então, não perca mais tempo e assine Americanet!